10 museus ao redor do mundo com visita virtual

10 museus ao redor do mundo com visita virtual

É natural que com a quarentena pela qual 1/3 da população mundial tem vivenciado, espaços que recebem muitas pessoas simultaneamente, como os museus, sejam fechados temporariamente para evitar aglomerações. Ainda assim, se a arte é o refúgio da nossa sanidade, não dá para ficar nesse período sem consumir cultura.

A visita virtual já é realidade para a maioria dos grandes museus ao redor do mundo. É possível, num mesmo dia dar uma volta na Capela Sistina, no Vaticano, e conferir a coleção de obras do Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia. Aqui na Perfectrip selecionamos uma lista com dez museus para você curtir a quarentena com muita arte!

Pinacoteca-Di-Brera

Pinacoteca di Breraem Milão, na Itália:

A coleção de arte desse museu faz dele um dos mais importantes de toda a Itália. Sua história começou diferente da maioria dos museus italianos, que nasceram do colecionismo privado, enquanto a Pinacoteca surgiu de uma coleção do governo. Seu acervo compreende uma das maiores coleções de obras italianas do mundo, produzidas entre o século 14 ao século 20. Rafael e Caravaggio são apenas dois dos artistas consagrados expostos por lá.

Museu do Louvreem Paris, na França:

Provavelmente um dos museus mais famosos do mundo, este é um espaço que leva alguns títulos que demonstram sua imponência. Inaugurado no final do século XVIII, recebe mais de oito milhões de visitantes por ano, fazendo dele o mais importante da França e um dos mais visitados do mundo. Encravado bem no centro da cidade-luz, atualmente é a “residência oficial” da famosa Mona Lisa de Leonardo Da Vinci, além da famosa obra A Liberdade Guiando o Povo de Delacroix e a Vênus de Milo, uma das obras mais conhecidas da Grécia Antiga. Enfim, um museu clássico. Visita obrigatória – virtual e presencialmente.

Museus Visita Virtual

Musei Vaticaniem Roma, na Itália:

O conglomerado de instituições culturais da Santa Sé abriga extensas coleções de arte e antiguidades reunidas ao longo dos séculos por pontífices romanos. Dentro dos palácios da cidade do Vaticano, eles também supervisionam uma série de espaços, como galerias e capelas que possuem alto interesse arquitetônico, histórico e artístico. A famosa Capela Sistina com sua conhecida decoração em afrescos pintada pelos maiores artistas da Renascença faz parte desse grupo. O Palácio dos Museus Vaticanos e a Pinacoteca Vaticana abrigam a maior parte das obras.

British Museum, em Londres, na Inglaterra:

Eleito o quarto maior museu do mundo, o Museu Britânico abriga 8 milhões de peças históricas de toda a humanidade. Sua importância, no entanto, é ainda maior quando pensamos em sua fundação, já que ele foi o primeiro grande museu público, gratuito e nacional em todo o mundo. Além disso, é o segundo museu moderno do planeta – o primeiro é o Museu de Oxford. Seu pioneirismo nos métodos museológicos trouxe relíquias da História Universal da Humanidade o que, consequentemente, faz com que seu acervo permanente seja vasto em obras antigas. A Pedra de Roseta e partes do Partenon de Atenas, por exemplo, são só algumas das obras mais importantes.

Museu Hermitage

Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia:

Uma das atrações turísticas mais visitadas de todo o país, o Hermitage é o abrigo de mais de 3 milhões de obras que se dividem entre as suas mais de mil salas. Seu espaço é tão amplo que é humanamente impossível conferir tudo em único dia, tanto que o museu vende ingressos válidos para 2 dias. Ainda assim, para os apaixonados por arte de verdade que queiram desvendar bem esse museu podem levar até 3 dias. Parece complicado? Não se você se dedicar a um tour virtual, por exemplo. Ponto positivo para quando você estiver presencialmente em terras russas porque já vai saber de antemão o que prefere ver pessoalmente.

Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália:

A Galeria dos Ofícios é uma obra de arte por si só. Ele foi projetado pelo famoso arquiteto Giorgio Vasari em 1560 a mando do duque Cosmo I de Médici. O palácio, que inicialmente abrigaria gabinetes administrativos de Florença, passou a abrigar a coleção pessoal de Francesco I em 1580. Sua fama vem principalmente pelo seu vasto acervo renascentista, um dos mais importantes do mundo. Botticelli, Leonardo da Vinci, Michelangelo e Rafaello são alguns dos artistas mais importantes expostos por lá.

The Met

The Metropolitan Museum of Art, em Nova York, nos Estados Unidos:

O Museu Metropolitano de Arte, conhecido informalmente como The Met, abriga uma importante coleção de pintura europeia dos séculos XII-XX e obras da arte antiga (grega, romana, egípcia e assírio-babilónica) e oriental. As seções dedicadas a instrumentos musicais, armas e indumentária são algumas das mais interessantes. Um dos motivos que diferencia esse de outros museus ao redor do mundo é a forma que sua coleção foi formada – apenas por compra ou doações -, enquanto a maioria dos europeus tem obras coletadas por colonizadores no decorrer dos séculos.

Museu Arqueológico, em Atenas, na Grécia:

Ligado ao Ministério da Cultura da Grécia, o Museu Arqueológico Nacional de Atenas é um dos mais importantes museus de antiguidades do mundo, com uma vasta coleção de artefatos e obras de arte da civilização grega desde sua fundação até a era em que foi tomada pelo Império Romano. Fundado em 1829, o museu funciona no prédio atual desde 1889 e possui um design neoclássico. Além das coleções tradicionais, o museu conta com um Arquivo Fotográfico, Laboratório Fotográfico e Laboratório de Química, entre outras salas importantes.

National-Gallery-of-Art

National Gallery of Art, em Washington, nos Estados Unidos:

As mais de 100 salas e corredores da Galeria Nacional de Arte abrigam mais de 110 mil obras. É interessante observar que seu acervo acolhe todas as artes, desde esculturas, quadros e gravuras, até fotos e objetos decorativos. Construída em 1937, a galeria abriga obras que vão desde a Idade Média ao século XIX. Monet, Van Gogh, Leonardo da Vinci, Dalí e Picasso são alguns dos artistas mais expoentes de lá.

Museu do Prado, em Madri, na Espanha:

O museu mais importante de Madri foi inaugurado em 1819. A visita exige pelo menos 4 horas para contemplação das obras mais importantes, como o conhecido quadro “As Meninas”, de Diego Velázques. Seu acervo inclui principalmente obras de pintura e escultura, especialmente das artes renascentista e barroca. É considerada a mais completa pinacoteca de arte espanhola, tornando esse uma parada obrigatória em qualquer visita a Madri. Que tal conferir uma prévia virtual?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *