pigatti

10 museus ao redor do mundo com visita virtual

10 museus ao redor do mundo com visita virtual

 

A visita virtual já é realidade para a maioria dos grandes museus ao redor do mundo. É possível, num mesmo dia dar uma volta na Capela Sistina, no Vaticano, e conferir a coleção de obras do Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia. Aqui na Perfectrip selecionamos uma lista com dez museus para você curtir museus com muita praticidade!

Pinacoteca di Brera, em Milão, na Itália:

A coleção de arte desse museu faz dele um dos mais importantes de toda a Itália. Sua história começou diferente da maioria dos museus italianos, que nasceram do colecionismo privado, enquanto a Pinacoteca surgiu de uma coleção do governo. Seu acervo compreende uma das maiores coleções de obras italianas do mundo, produzidas entre o século 14 ao século 20. Rafael e Caravaggio são apenas dois dos artistas consagrados expostos por lá.

 

Museu do Louvre, em Paris, na França:

Provavelmente um dos museus mais famosos do mundo, este é um espaço que leva alguns títulos que demonstram sua imponência. Inaugurado no final do século XVIII, recebe mais de oito milhões de visitantes por ano, fazendo dele o mais importante da França e um dos mais visitados do mundo. Encravado bem no centro da cidade-luz, atualmente é a “residência oficial” da famosa Mona Lisa de Leonardo Da Vinci, além da famosa obra A Liberdade Guiando o Povo de Delacroix e a Vênus de Milo, uma das obras mais conhecidas da Grécia Antiga. Enfim, um museu clássico. Visita obrigatória – virtual e presencialmente.

 

 

Museu Vaticani , em Roma, na Itália:

O conglomerado de instituições culturais da Santa Sé abriga extensas coleções de arte e antiguidades reunidas ao longo dos séculos por pontífices romanos. Dentro dos palácios da cidade do Vaticano, eles também supervisionam uma série de espaços, como galerias e capelas que possuem alto interesse arquitetônico, histórico e artístico. A famosa Capela Sistina com sua conhecida decoração em afrescos pintada pelos maiores artistas da Renascença faz parte desse grupo. O Palácio dos Museus Vaticanos e a Pinacoteca Vaticana abrigam a maior parte das obras.

 

British Museum, em Londres, na Inglaterra:

Eleito o quarto maior museu do mundo, o Museu Britânico abriga 8 milhões de peças históricas de toda a humanidade. Sua importância, no entanto, é ainda maior quando pensamos em sua fundação, já que ele foi o primeiro grande museu público, gratuito e nacional em todo o mundo. Além disso, é o segundo museu moderno do planeta – o primeiro é o Museu de Oxford. Seu pioneirismo nos métodos museológicos trouxe relíquias da História Universal da Humanidade o que, consequentemente, faz com que seu acervo permanente seja vasto em obras antigas. A Pedra de Roseta e partes do Partenon de Atenas, por exemplo, são só algumas das obras mais importantes.

 

 

Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia:

Uma das atrações turísticas mais visitadas de todo o país, o Hermitage é o abrigo de mais de 3 milhões de obras que se dividem entre as suas mais de mil salas. Seu espaço é tão amplo que é humanamente impossível conferir tudo em único dia, tanto que o museu vende ingressos válidos para 2 dias. Ainda assim, para os apaixonados por arte de verdade que queiram desvendar bem esse museu podem levar até 3 dias. Parece complicado? Não se você se dedicar a um tour virtual, por exemplo. Ponto positivo para quando você estiver presencialmente em terras russas porque já vai saber de antemão o que prefere ver pessoalmente.

A Galeria dos Ofícios é uma obra de arte por si só. Ele foi projetado pelo famoso arquiteto Giorgio Vasari em 1560 a mando do duque Cosmo I de Médici. O palácio, que inicialmente abrigaria gabinetes administrativos de Florença, passou a abrigar a coleção pessoal de Francesco I em 1580. Sua fama vem principalmente pelo seu vasto acervo renascentista, um dos mais importantes do mundo. Botticelli, Leonardo da Vinci, Michelangelo e Rafaello são alguns dos artistas mais importantes expostos por lá.

 

 

The Metropolitan Museum of Art, em Nova York, nos Estados Unidos:

O Museu Metropolitano de Arte, conhecido informalmente como The Met, abriga uma importante coleção de pintura europeia dos séculos XII-XX e obras da arte antiga (grega, romana, egípcia e assírio-babilónica) e oriental. As seções dedicadas a instrumentos musicais, armas e indumentária são algumas das mais interessantes. Um dos motivos que diferencia esse de outros museus ao redor do mundo é a forma que sua coleção foi formada – apenas por compra ou doações -, enquanto a maioria dos europeus tem obras coletadas por colonizadores no decorrer dos séculos.

 

Museu Arqueológico, em Atenas, na Grécia:

Ligado ao Ministério da Cultura da Grécia, o Museu Arqueológico Nacional de Atenas é um dos mais importantes museus de antiguidades do mundo, com uma vasta coleção de artefatos e obras de arte da civilização grega desde sua fundação até a era em que foi tomada pelo Império Romano. Fundado em 1829, o museu funciona no prédio atual desde 1889 e possui um design neoclássico. Além das coleções tradicionais, o museu conta com um Arquivo Fotográfico, Laboratório Fotográfico e Laboratório de Química, entre outras salas importantes.

 

 

National Gallery of Art, em Washington, nos Estados Unidos:

As mais de 100 salas e corredores da Galeria Nacional de Arte abrigam mais de 110 mil obras. É interessante observar que seu acervo acolhe todas as artes, desde esculturas, quadros e gravuras, até fotos e objetos decorativos. Construída em 1937, a galeria abriga obras que vão desde a Idade Média ao século XIX. Monet, Van Gogh, Leonardo da Vinci, Dalí e Picasso são alguns dos artistas mais expoentes de lá.

 

Museu do Prado, em Madri, na Espanha:

O museu mais importante de Madri foi inaugurado em 1819. A visita exige pelo menos 4 horas para contemplação das obras mais importantes, como o conhecido quadro “As Meninas”, de Diego Velázques. Seu acervo inclui principalmente obras de pintura e escultura, especialmente das artes renascentista e barroca. É considerada a mais completa pinacoteca de arte espanhola, tornando esse uma parada obrigatória em qualquer visita a Madri. 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *